A importância do “Briefing”.

06/10/2010

Hospital Metropolitano

To Brief (inglês): resumir.

Briefing: resumo; conjunto de dados fornecidos pelo cliente para orientar um fornecedor na elaboração de um trabalho. Documento no qual estão colocados os dados necessários para elaboração de uma campanha, material de comunicação ou de propaganda.


O bom Briefing não é a resposta de um questionário, mas um guia, isto é, a visão da empresa sobre determinados enfoques que sejam importantes para um projeto. O Briefing é o documento no qual o cliente transmite as informações para a equipe de criação, é a primeira de 5 etapas:

  • 1. Briefing com o cliente;
  • 2. Pesquisa de mercado e análise da concorrência;
  • 3. Brainstorm; (algo como , “Tempestade cerebral”)
  • 4. Definição do conceito e funcionalidades;
  • 5. Arquitetura de Informação;
  • 6. Design Gráfico.

Uma especificação bem feita é metade do caminho para um projeto bem sucedido, por isso, reunimos aqui alguns bons argumentos para que se dedique o tempo merecido ao briefing:

Rumo certo desde o início: se os webdesigners, arquitetos de informação, atendimento, programadores e outros profissionais já começarem o projeto com uma visão clara dos objetivos, da mensagem a ser transmitida e do público-alvo, poderão amadurecer as idéias para entregar um trabalho de alta qualidade e criatividade.

Formalização do prazo: em um modelo de trabalho ideal, o prazo começa a contar a partir do fechamento das especificações. A validação por escrito do cliente serve para formalizar esse ponto de partida.

Diminuição de retrabalho: para desespero de gerentes de atendimento e de projeto, as mudanças de escopo ao longo do projeto são as principais razões dos furos de prazos. Para o cliente, a perda de agilidade pode vir acompanhada de uma qualidade inferior, causada pela correria na produção.

Combate ao “telefone sem fio”: quanto maior a empresa e a produtora, mais a comunicação se distorce no meio do caminho. Um briefing bem documentado reduz os riscos de uma ilustração sóbria virar um Flash viajante.

Compartilhando com: http://www.interactis.com.br


Neblina muito forte em Caieiras

06/07/2010

Hoje pela manhã a neblina tomou conta de Caieiras, pessoas que utilizam o local para escaparem do trânsito das marginais se surpreenderam.

“A neblina era tão forte qua não conseguíamos enxergar 20 metros a frente”. exclamou um morador da região.

Fotos: Andrea Baltazar

O maior problema é o cheiro de “produtos químicos” ou “fumaça proveniente de queimadas” que predomina na região.

Seja qual for o problema, provavelmente foi originada pela ação humana.

por: Douglas


Piadinha do dia

02/07/2010

1 Dunga, 11 sonecas e 190 milhões de zangados!

Voltemos a programação normal!


Criatividade é tudo – parte 2

25/06/2010

Idéia mais que criativa em um outdoor

E em uma escada rolante!


Obra de Arte em menos de 3 minutos!

23/06/2010

Será que você consegue?

Arte feita por Brandon McConnel

Muito bom.


Criatividade é tudo!

08/06/2010

Isso acontece quando você tem as pessoas certas cuidando da sua marca!

É o que a FedEx Kinko’s fez ao deixar sua campanha nas mãos da Agencia de Propaganda BBDO – Nova York.

Lembre-se, procure sempre um profissional e tenha também, o maior número de referências possível sobre ele, sua marca é o seu bem maior!


Coca Cola Azul

27/05/2010

Já havíamos comentado sobre a Coca Cola Verde no EcoLLOgia e agora vamos falar da Coca Cola Azul, ou melhor, da grande sacada que a Coca Cola teve, vamos explicar melhor.

O Festival de Parintins, no Amazonas.

O festival folclórico que só perde em tamanho para o Carnaval, acontece todo fim de junho onde Caprichoso (representando pela cor azul) e Garantido (representado pelo vermelho) se enfrentam para ver quem é o melhor bumbá.

Durante as três noites de festa, a cidade fica literalmente rachada ao meio com placas, postes, casas, tudo pintado nas cores de cada boi, demarcando seus territórios que se dividem no Centro Cultural e Esportivo Amazonino Mendes, mais conhecido como “bumbódromo”, onde as facções se encontram para belíssimos desfiles. E coisa lá em Parintins é levado a sério: quem usa vermelho, nem quer saber de azul e os azuis enxergam no vermelho a cor do cão! Até as notas dadas pelos juizes são registradas em caneta verde e é terminantemente proibido pronunciar o nome do adversário, sendo apenas chamado de “o contrário”.

De alguns anos pra cá, a festa tomou proporções internacionais e grande empresas estão patrocinando o evento, entre elas a Coca-Cola. Porém, o titã dos refrigerantes encontrou um problema seríssimo de ordem diplomática: os seguidores do Caprichoso não consumiam a Coca pela cor vermelha, que em suas cabeças dava total conotação a turma do Garantido. Isso começou causar problemas a Coca pois os caprichosos deixam de consumi-la e caiam nas graças da eterna rival Pepsi que, coincidentemente, é azul.

O problema exigia medidas drásticas, que acabou culminando na regionalização da comunicação de um produto que tem uma comunicação mundial: em decisão inédita e única em mais de 100 anos da empresa, a coca lançou a sua lata na cor azul!

[Alguns dizem que essa decisão não foi inédita, que no Grêmio e no Boca Juniors o logo da Coca já é usado em azul. Concordo com quem fala isso, mas no quesito “mudar a cor da embalagem do produto”, isso sim, de fato é inédito.]

Com autorização da matriz em Atlanta – EUA , pra não perder market share para a concorrente, são feitas a latas azuis, azul e vermelha (meio a meio) e as normais vermelhas.

E não somente a cor, mas toda a divulgação visual passa por uma mudança radical também. Uma amostra de como o produto e/ou o marketing precisam se regionalizar para vender e isso incide diretamente no logotipo,  na identidade visual que a empresa possui. Uma coisa interessante: repare que o azul que a Coca usa é um tom claro. Claramente uma escolha proposital, pois a Pepsi usa um tom de azul mais forte. Mesmo usando a mesma cor do concorrente, busca-se a individualização na mente do consumidor.